Portaria n.º 373/93, de 03 de Abril de 1993

 
TRECHO GRÁTIS

Portaria n.° 525/86, de 16 de Setembro, não comporta estruturas nem conta com recursos humanos que possam responder àquelas novasatribuições.

É, assim, criada no Centro Regional de Segurança Social de Castelo Branco a Divisão de Serviço Jurídico, de Contencioso e de Contra-Ordenações, à qual competirão, para além das atribuições correspondentes ao Serviço Jurídico e de Contencioso, que são retiradas à Divisão de Apoio Técnico, as de instrução e organização dos processos de contra-ordenação, dotando-se o quadro de pessoal dos lugares indispensáveis a esta nova unidade orgânica.

Nestestermos: Ao abrigo do disposto no artigo 36.° Portaria n.° 525/86, de 16 de Setembro, passa a ter a seguinte redacção: Artigo 5.° Enunciação dos serviços O Centro dispõe dos seguintes serviços: a) A Direcção de Serviços de Segurança Social; b) A Direcção de Serviços Financeiros e Administrativos; c) A Divisão de Gestão Financeira; d) A Divisão de Organização e Informática; e) A Divisão de Apoio Técnico; f) A Divisão de Serviço Jurídico, de Contencioso e de Contra-Ordenações; g) O Centro de Relações Públicas e Documentação; h) O Serviço de Fiscalização; i) Os serviços locais; 2.° O artigo 16.° do Regulamento do Centro Regional de Segurança Social de Castelo Branco passa a ter a seguinte redacção: Artigo 16.° Divisão de Apoio Técnico Compete à Divisão de Apoio Técnico: a) Promover o estudo dos problemas de pessoal do Centro e orientar as acções de acolhimento e integração; b) Colaborar, incentivar e apoiar a aplicação dos instrumentos adequados à avaliação no desempenho das funções do pessoal do Centro; c) Promover a definição de sistemas de controlo de assiduidade e pontualidade; d) Promover a definição de índices de gestão em matéria de pessoal; e) Proceder à aplicação dos métodos e técnicas de recrutamento, selecção e orientação de pessoal e efectuar o estudo das exigências dos postos de trabalho, em colaboração com a Divisão de Organização e Informática; f) Realizar o levantamento de necessidades e colaborar na definição de prioridades de formação e aperfeiçoamento profissional do pessoal dos serviços e de instituições particulares de solidariedade social; g) Elaborar o plano de formação e aperfeiçoamento profissional do Centro e organizar e avaliar as acções da sua responsabilidade; h) Colaborar e coordenar a participação em acções da iniciativa de outras entidades no domínio da formação e aperfeiçoamento profissional; i) Elaborar os planos e programas...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO