Relatório 13-C/2007, de 19 de Outubro de 2007

 
TRECHO GRÁTIS

Relatório n. 13-C/2007

Conservatória do Registo Comercial de Lisboa (4.ª Secçáo). Matrícula n. 8926; identificaçáo de pessoa colectiva n. 504868713; número e data da apresentaçáo: 1232/15 de Abril de 2005.

Maria de Fátima Pepe da Silva Fernandes, segunda-ajudante da

Conservatória do Registo Comercial de Lisboa (4.ª Secçáo):

Certifica, que foram depositados na pasta respectiva, os documentos referentes à prestaçáo de contas do ano de 2004.

Está conforme o original.

Lisboa, 13 de Dezembro de 2006. - A Segunda-Ajudante, Maria de Fátima Pepe da Silva Fernandes.

Relatório e contas de 2004 Órgáos sociais

Mesa da assembleia geral:

Presidente: José Lourenço Soares.

Secretários:

José Manuel Rodrigues Lourenço.

Raquel Cristina Guerreiro Pinto Ribeiro Sardo.

Conselho de administraçáo:

Presidente: Luís Filipe Alves Monteiro.

Vice-presidente: Fernando Dias Nogueira Vogais. Vogais:

José Gomes Pedro.

Francisco Manuel Marques Bandeira. Maria Teresa Pires dos Santos Valente.

Fiscal único:

Revisor oficial de contas: Oliveira Rêgo & Associados - Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, representado por Manuel de Oliveira Rêgo.

Revisora oficial de contas suplente: Paula Cristina Guerreiro Ganháo de Oliveira Rêgo.

Secretário da sociedade: José Manuel Rodrigues Lourenço.

Auditores: Deloitte.

Órgáos de estrutura e responsáveis

Departamento de leasing: Manuel Pires Valente.

Departamento de factoring: José Manuel Mota Bento. Direcçóes comerciais:

Norte: Maria Gorete Gonçalves F. Rato.

Centro: Olegário Pedroso Angélico.

Lisboa, Sul e Regióes Autónomas: José António F. Silva Barbosa Factoring: Joáo Paulo Gascáo N. P. Nina.

Direcçáo financeira:

José Hipólito O. André Figueiras.

Joaquim José Gomes Mira.

Direcçáo de informática e organizaçáo:

Vítor Manuel Ângelo Condeço.

Susana Manuel C. Pedroso Fernandes.

Direcçáo jurídica de recuperaçáo de crédito Ana Maria Vieira M. J. Freire.

Direcçáo de recursos humanos e administrativos: Fernando António Salsinha Amador.

Gabinete de marketing, comunicaçáo e imagem: José Manuel Rodrigues Lourenço.

Gabinete de Planeamento, Auditoria e Controlo de Gestáo: José Manuel Rodrigues Lourenço.

Gestáo de activos: Carlos Alberto G. Coelho dos Santos. Núcleo de Gestáo de Risco: Lucília Maria Fernandes R. Mendes.

Relatório do conselho de administraçáo

Introduçáo:

Culminando o processo de reestruturaçáo das empresas de leasing e de factoring do Grupo Caixa Geral de Depósitos, foi registada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, no dia 30 de Dezembro de 2004, a Caixa Leasing e Factoring - Instituiçáo Financeira de Crédito, S. A., que resultou da fusáo das empresas Imoleasing - Socie-dade de Locaçáo Financeira Imobiliária, S. A., Locapor - Companhia Portuguesa de Locaçáo Financeira Mobiliária, S. A. e Lusofactor - Sociedade de Factoring, S. A., por incorporaçáo na Caixa Empresas de Crédito, SGPS, S. A.

Com a referida fusáo foi transmitido para a nova sociedade o património das empresas fusionadas, assumindo a primeira os direitos e as obrigaçóes existentes à referida data de 30 de Dezembro de 2004, bem como os respectivos quadros de pessoal.Atendendo à data de constituiçáo, os elementos relativos à activi-dade comercial, inserida no contexto macroeconómico de 2004, que se apresentam neste relatório, correspondem ao desenvolvimento dos negócios do leasing e do factoring das empresas fusionadas.

Enquadramento macroeconómico e sectorial

Após a recessáo da economia portuguesa em 2003, o ano de 2004 foi marcado por uma ligeira recuperaçáo, com o PIB a crescer cerca de 1,1%.

Este crescimento traduziu uma forte expansáo da procura interna privada, que teve como consequência um aumento das necessidades de financiamento da economia portuguesa e uma diminuiçáo da taxa de poupança dos particulares.

O consumo privado cresceu cerca de 2,2% em 2004, após a reduçáo de 0,7% registada em 2003. Esta variaçáo do consumo privado, que superou a variaçáo real do rendimento disponível dos particulares, determinou uma queda, estimada em 0,7 p.p., da respectiva taxa de poupança em 2004.

A formaçáo bruta de capital fixo (FBCF), depois de ter registado quedas muito significativas em 2002 e 2003 (com uma quebra acumulada de cerca de 15% em termos reais), cresceu moderadamente em 2004 (1,8%).

No que respeita às exportaçóes verificou-se em 2004 um crescimento de 6.8%, enquanto as importaçóes verificaram uma taxa de crescimento anormalmente elevada, quando comparada com a evoluçáo da procura global, que poderá ter estado associada a factores temporários.

Após uma diminuiçáo de 0,7% no ano anterior, o emprego cresceu 0,4% em 2004, com as remuneraçóes por trabalhador a apresentarem uma variaçáo de cerca de 3,7% no sector privado da economia, enquanto para o total da economia este crescimento deverá ter ficado pelos 3,2% (reflectindo o congelamento parcial das grelhas salariais dos funcionários públicos).

Relativamente à inflaçáo verificou-se uma ligeira descida na respectiva taxa média anual. Assim, o IHPC baixou de 3,3% em 2003 para 2,5% em 2004.

Superando o crescimento verificado na economia, o sector da locaçáo financeira, registou, em 2004, um crescimento de 27%, impulsionado por ambos os subsectores do imobiliário e do mobiliário. O subsector imobiliário com uma produçáo de 1430 milhóes de euros face aos 1053 milhóes de euros registados em 2003, apresentou um crescimento de 36%. Relativamente ao subsector do mobiliário, que registou uma produçáo de 2792,6 milhóes de euros face aos 2266,5 milhóes de euros de 2003, o crescimento foi de 23%. Esta evoluçáo favorável foi registada pela generalidade das empresas que compóem ambos os subsectores do leasing imobiliário e mobiliário.

Sector da locaçáo financeira

Sector de factoring

O sector em 2004 era composto por 10 operadoras, continuando a verificar-se uma concentraçáo de negócio nos cinco principais grupos financeiros, que detêm cerca de 78% do mercado.

Actividade da empresa

Actividade comercial

Leasing imobiliário:

Em Dezembro de 2004 a produçáo da locaçáo imobiliária atingiu um valor acumulado de 205,8 milhóes de euros, apresentando uma variaçáo positiva de cerca de 10% relativamente ao período homólogo do ano anterior.

A prossecuçáo da política de reduçáo do risco, com a consequente diminuiçáo do valor médio de operaçáo continuou a ser conseguida, o que permitiu aproximar o valor médio de contrato na empresa do valor médio de contrato no mercado.

A participaçáo das redes bancárias na produçáo da locaçáo imobiliária apresentou-se mais significativa, passando de 64% em 2003 para 80% em 2004, com os montantes realizados a situarem-se em valores quase 40% acima dos verificados no ano anterior.

Peso do Canal Bancário na produçáo total

Por sector de actividade económica manteve-se a distribuiçáo tradicional para este produto, com a predominância dos sectores de alugueres e serviços, comércio e indústria.

Distribuiçáo da produçáo por actividade económica

Por tipo de bem e acompanhando o tipo de imóveis representativos dos diferentes sectores de actividade económica, verifica-se que os

O mercado do leasing continuou concentrado em cinco dos principais grupos financeiros, que em conjunto representam cerca de 80%.

Com uma produçáo de 458 milhóes de euros e um crescimento de 13,2%, relativamente a Dezembro de 2003, o financiamento em leasing do Grupo Caixa Geral de Depósitos atinge uma quota de 10,8%.

Esta reduçáo de quota global decorre de um crescimento inferior em ambos os subsectores da locaçáo financeira em comparaçáo com o já antes assinalado comportamento do mercado.

Para o leasing mobiliário, o crescimento de 17%, embora inferior ao do subsector, náo comprometeu o posicionamento do negócio em termos da quota de mercado.

No tocante ao sector do factoring registou-se, em 2004, um crescimento de quase 21%, com um volume global de créditos tomados de 14.711 milhóes de euros. Esta evoluçáo positiva foi conseguida pela generalidade das empresas que compóem o sector.

30 376-(24)espaços comerciais continuaram a ser a categoria dominante nos financiamentos efectuados.

Distribuiçáo da produçáo por tipo de imóvel

Leasing mobiliário:

A produçáo acumulada da locaçáo mobiliária atingiu, no final de 2004, um montante de 252,58 milhóes de euros, o que relativamente ao período homólogo do ano anterior representa um crescimento de 16,6%.

O esforço de reduçáo do risco, com a consequente diminuiçáo do valor médio de operaçáo foi plenamente conseguido, tendo este valor em 2004 sido reduzido em 5% face ao ano anterior. Este desempenho permitiu aproximar o valor médio de contrato do valor médio do contrato no mercado, tendo para tal sido contratadas 5519 operaçóes, com um valor médio de 46 milhares de euros.

As redes comerciais bancárias continuaram a ser o principal canal angariador realizando 4878 operaçóes no valor de 211,8 milhóes de euros, o que representa cerca de 84% da produçáo total, mais 4 p.p. que o valor obtido em 2003.

Peso do Canal Bancário na produçáo total

à semelhança dos sectores de actividade mais representativos no negócio do leasing mobiliário, também os equipamentos predominantes correspondem aos daquelas actividades verificando-se, inclusivamente, um aumento significativo da produçáo em equipamento industrial (23,6%) e em veículos ligeiros (20,9%).

Distribuiçáo da produçáo por tipo de equipamento

Factoring:

Em 2004, a actividade comercial registou um crescimento de 19%, que correspondeu a um volume de negócio de 1945,8 milhóes de euros, resultantes de 800 operaçóes, com um valor médio de 2,4 milhóes de euros.

Peso das estruturas do canal bancário na facturaçáo total

Em termos de facturaçáo tomada no ano os aderentes pertencentes aos sectores do comércio e da construçáo, com 62% do total, continuaram a deter a maior representatividade. Salienta-se o crescimento de 65% na facturaçáo de aderentes pertencentes ao sector industrial.

Distribuiçáo da produçáo por actividade económica

Organizaçáo, recursos humanos e sistemas

Na sequência da reorganizaçáo das empresas de crédito...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO