Relatório n.º 13-F/2007, de 24 de Outubro de 2007

Relatório n. 13-F/2007

Conservatória do Registo Comercial de Lisboa (2.ª Secçáo). Matrícula n. 10 903/20010117; identificaçáo de pessoa colectiva n. 505253003; número e data da inscriçáo: 7/3 de Novembro de 2005.

Ana Maria Figueiredo, primeira-ajudante da Conservatória do Registo

Comercial de Lisboa (2.ª Secçáo):

Certifica, que as cópias em anexo sáo a reproduçáo integral dos documentos arquivados na pasta respectiva, referente à prestaçáo de contas, da sociedade em epígrafe do ano de 2004.

Está conforme o original.

Lisboa, 12 Dezembro 2005. - A Primeira-Ajudante, Ana Maria Figueiredo.

Relatório e contas de 2004 Órgáos sociais

Assembleia geral:

Presidente: Vítor Castro Nunes.

Secretários:

Filipe de Lacerda Baiáo do Nascimento.

Marianela Catarino Cordeiro de Sousa Meireles.

Administraçáo:

Presidente: José de Oliveira Costa.

Vogais:

António Coelho Marinho.

Fernando Soares Ferreira.

Fiscal único:

J. Monteiro & Associados - Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, L.da, efectivo.

Salvador Figueiredo Vás Lima, revisor oficial de contas, suplente.

Relatório de gestáo

Ex.mos Srs. Accionistas:

Nos termos da lei e dos estatutos, vem a administraçáo da Nexpart, SGPS, S. A., submeter à apreciaçáo de VV. Ex.as o relatório de gestáo da actividade e as contas do exercício findo em 31 de Dezembro de 2004.

Enquadramento económico

Em 2004, estima-se que o PIB Português tenha tido um crescimento entre 1% a 1,5%, face a uma quebra de 1,2% em 2003. Este crescimento deve-se sobretudo à performance registada no primeiro semestre, alicerçada em factores duradouros como uma procura externa forte, mas também devido à realizaçáo do Euro 2004 no nosso país.

30 824-(28)Já no segundo semestre o PIB tem mesmo diminuído devido a factores como a valorizaçáo do euro face ao dólar, com impacto negativo nas exportaçóes, bem como à escalada do preço do petróleo, entretanto invertida em Novembro último.

Os dados disponíveis apontam para uma contribuiçáo significativa da procura interna para o crescimento do PIB, de cerca de 1,9 pontos percentuais, após uma queda de 2,8% verificada em 2003. Esse crescimento da procura interna deve-se principalmente ao aumento do consumo privado, na ordem dos 2%, enquanto o consumo público registou uma subida de cerca de meio ponto percentual.

O défice da balança comercial continuou a aumentar durante o ano de 2004, devido a um aumento das importaçóes superior ao das exportaçóes, contribuindo fortemente para o agravamento do défice da balança corrente (6,3% do PIB em 2004 contra 5,1% no ano anterior).

A taxa de desemprego teve um ligeiro aumento passando de 6,3% em 2003 para 6,5%.

A inflaçáo média anual em 2004 deverá rondar os 2,5%, contra 3,3% em 2003, aproximando-se agora mais da média dos países da Uniáo Europeia (cerca de 2,1%).

Actividade da sociedade

A sociedade foi constituída por escritura pública em 15 de Dezembro de 2000 e tem por objecto a gestáo de participaçóes sociais de outras sociedades como forma indirecta de exercício de actividade económica.

Em 23 de Fevereiro de 2004 foi realizado um aumento de capital no montante de 6 100 000 euros, tendo o capital social da sociedade passado para 6 150 000 euros.

Resultado do exercício

O resultado líquido do exercício foi positivo em 12 012,81 euros.

Factos relevantes ocorridos após o termo do exercício

Após o termo do exercício e até à presente data, náo ocorreram factos relevantes que possam alterar os pressupostos na base dos quais este documento é produzido.

Perspectivas para o exercício de 2005

Prevê-se que no próximo exercício a sociedade continue a exercer de forma continuada o seu objecto social.

Proposta de aplicaçáo de resultados

Após a afectaçáo de parte dos resultados para reserva legal, no montante de 600,64 euros, propóem-se o remanescente seja transferido para resultados transitados no montante de 11 412,17 euros, finalmente propóe-se que sejam distribuídos dividendos no valor de 615 000 euros com recurso aos resultados transitados, que correspondem a 10% do capital social.

Consideraçóes finais

Cumpre informar que náo existiam, à data do encerramento das contas, dívidas em mora perante a segurança social ou perante o Estado e outros entes públicos.

Lisboa, 1 Março de 2005. - A Administraçáo: José de Oliveira Costa, presidente - António Coelho Marinho, vogal - Fernando Soares Ferreira, vogal.

Anexo ao relatório do conselho de administraçáo

Em cumprimento do n. 5 do artigo 447. do Código das Sociedades Comerciais, cumpre-nos informar o seguinte:

Quantidade

Assembleia geral:

Acçóes detidas em 1 de Janeiro de 2004:

Marianela Catarino Cordeiro de Sousa Meireles ....... -

Acçóes detidas em 31 de Dezembro de 2004:

Marianela Catarino Cordeiro de Sousa Meireles ....... 11 264

Conselho de administraçáo:

Acçóes detidas em 1 de Janeiro de 2004:

José de Oliveira Costa ........................................... -

António Coelho Marinho ..................................... -

Fernando Soares Ferreira ....................................... -

Acçóes detidas em 31 de Dezembro de 2004:

José de Oliveira Costa ........................................... 590 428

António Coelho Marinho ..................................... 599 828

Fernando Soares Ferreira ....................................... 14 000

Restantes órgáos:

De resto, nem o presidente da mesa da assembleia geral Vítor Castro Nunes ou o Secretário Filipe de Lacerda Baiáo Nascimento, nem o fiscal único efectivo ou suplente, foram titulares, durante todo o exercício de 2004, de quaisquer acçóes representativas do capital social da sociedade, náo lhes sendo aplicáveis as previsóes dos n.os 2 e 3 do artigo 447. do Código das Sociedades Comerciais.

Durante todo o exercício de 2004 e até à presente data, a sociedade náo procedeu à emissáo de obrigaçóes de qualquer natureza.

A Administraçáo: José de Oliveira Costa, presidente - António Coelho Marinho, vogal - Fernando Soares Ferreira, vogal.

Balanço em 31 de Dezembro de 2004

ACTIVO

(Em euros)

Código Ano anterior das contas Activo Amortizaçóes Activo (líquido) bruto e provisóes líquido

Ano

Imobilizado:

Imobilizaçóes incorpóreas:

Despesas de instalaçáo ................................... 33 980,37 11 703,20 22 277,17 -

432 Despesas de investig. e de desenvolvim. ........ - - - -

433 Propriedade industrial e outros direitos ......... - - - -

434 Trespasses ...................................................... - - - -

441/6 Imobilizaçóes em curso .................................. - - - -

449 Adiant. por conta de imobiliz. incorpóreas ...... - - - -

....................................................................... 33 980,37 11 703,20 22 277,17 -(Em euros)

Código Ano anterior das contas Activo Amortizaçóes Activo (líquido) bruto e provisóes líquido

Imobilizaçóes corpóreas:

421 Terrenos e recursos naturais .......................... - - - -

422 Edifícios e outras construçóes ........................ - - - -

423 Equipamento básico ....................................... - - - -

424 Equipamento de transporte ............................ - - - -

425 Ferramentas e utensílios ................................. - - - -

426 Equipamento administrativo .......................... - - - -

427 Taras e vasilhame .......................................... - - - -

429 Outras imobilizaçóes corpóreas ...................... - - - -

441/6 Imobilizaçóes em curso .................................. - - - -

448 Adiant. por conta de imobiliz. corpóreas ......... - - - -

....................................................................... - - - -

Investimentos financeiros:

4111 Partes de capital em empresas do Grupo ....... - - - -

4121+4131 Empréstimos a empresas do Grupo ................ - - - -

4112 Partes de capital em empresas associadas ...... - - - -

4122+4132 Empréstimos a empresas associadas ............... - - - -

4113+414+415 Títulos e outras aplicaçóes financeiras .......... 11 864 226,38 11 864 226,38 1 286 832,20 -

4123+4133 Outros empréstimos concedidos ..................... - - - -

441/6 Imobilizaçóes em curso .................................. - - - -

447 Adiant. por conta de investim. financeiros ... - - - -

....................................................................... 11 864 226,38 - 11 864 226,38 1 286 832,20

Circulante:

Existências:

36 Matérias-primas, subsidiárias e de consumo ...... - - - -

35 Produtos e trabalhos em curso ....................... - - - -

34 Subprodutos, desperdí., resíduos e refugos ...... - - - -

33 Produtos acabados e intermédios ................... - - - -

32 Mercadorias .................................................... - - - -

37 Adiantamentos por conta de compras ........... - - - -

....................................................................... - - - -

Dívidas de terceiros - médio e longo prazos ...... - - - -

Dívidas de terceiros - Curto prazo:

211 Clientes, c/c .................................................... - - - -

212 Clientes - Títulos a receber ......................... - - - -

213 Clientes de cobrança duvidosa ........................ - - - -

252 Empresas do grupo ......................................... - - - -

253+254 Empresas participadas e participantes ........... - - - -

251+255 Outros accionistas (sócios) ............................ - - - -

229 Adiantamentos a fornecedores ....................... - - - -

2619 Adiantamentos a fornecedores de imobilizado - - - -

24 Estado e outros entes públicos ....................... 3 009,12 - 3 009,12 1 748,80

62+266/7/8+221 Outros devedores ............................................ - - - -

264 Subscritores de capital .................................... - - - -

....................................................................... 3 009,12 - 3 009,12 1 748,80

Títulos negociáveis:

1511 Acçóes em empresas do Grupo ...................... - - - -

1521 Obrig. e tít. de partic. em empresas do Grupo - - - - 1512 Acçóes em empresas associadas ..................... - - - -

1522 Obrig. e tít. de partic. em empresas associadas - - - -...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO